Poluição doméstica: saiba porque ela é prejudicial e como evitar

07/07/2020 / por Fundação ProAr

A poluição dentro de casa é quase tão nociva quanto a do lado de fora devido ao acúmulo de agentes poluentes no interior das moradias.

A poluição doméstica tem se tornado um agente agressivo à saúde, ainda mais para pacientes alérgicos e com doenças respiratórias crônicas. Muitas vezes a poeira excessiva ou até mesmo produtos tóxicos que são usados no dia-a-dia podem se tornar desencadeadores de crises e outros problemas.

A Dra. Faradiba Sarquis Serpa, alergista, professora e coordenadora do Centro de Referência em Asma e do Ambulatório de Angioedema e Urticária Crônica da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - ES e membro do Conselho Curador da Fundação ProAR, explica que no ambiente interno existem diversos poluentes químicos e biológicos e dependendo dos hábitos da família a poluição dentro de casa pode ser pior do que no ambiente externo. “Os poluentes intradomiciliares podem ser oriundos do ar externo e originados no próprio ambiente interno. Os principais poluentes químicos nas residências são o gás Dióxido de Nitrogênio (NO2) e o Material Particulado. As fontes desses poluentes são a queima da madeira nas casas que utilizam fogão a lenha, a queima do carvão e outros combustíveis como o gás de cozinha utilizado para cozinhar ou aquecer ambientes, a fumaça do cigarro que representa a principal fonte de poluentes intradomiciliares, os produtos de limpeza, perfumes, inseticidas, entre outros.”

Poluição doméstica: desencadeadores e efeitos

São gases emissores, os famosos produtos químicos em aerossol, e partículas microscópicas que agridem e muito as vias aéreas.

"Nós o chamamos de agentes biológicos, que normalmente compõem o ar interior das residências, representados pelos fungos, ácaros, epitélios e pelos de animais, insetos. Os ácaros são encontrados nos carpetes, colchões, sofás, almofadas, brinquedos de pelúcia, roupas guardadas. Os fungos (mofo ou bolor), liberam esporos (pequenas partículas) que passam a fazer parte do ar interior e quando inaladas podem, assim como os ácaros desencadear sintomas de asma e/ou rinite. A sensibilidade a fungos está relacionada à maior gravidade da asma, por isso é muito importante evitar a sua presença nos ambientes internos. Pelos e descamação da pele de animais domésticos como cães e gatos também contribuem para uma pior qualidade do ar interior, assim como as baratas que também podem desencadear sintomas de alergia respiratória”, explica a médica alergista, Dra. Faradiba.  

A má ventilação do ambiente também é um fator de risco, já que aumenta os níveis internos de poluentes prejudiciais quando não renovadas e nem diluídos adequadamente. Outra fonte que polui gravemente o ar doméstico é o cigarro, além de causar sérios danos à saúde. Segundo o Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), em 2019, 9,8% dos brasileiros afirmaram ter o hábito de fumar. Entre adultos com 18 a 24 anos (7,9%) e adultos com 65 anos e mais (7,8%).

Os números por si só já apresentam um enorme grau de poluição compartilhada dentro de casa. O tabagismo causa doenças graves, principalmente o câncer no pulmão. 

Leia mais: Câncer de pulmão cresce a cada ano e o tabagismo é a principal causa

Os efeitos da exposição à poluição doméstica podem variar devido a sensibilidade de cada um. Tanto podem surgir imediatamente, caso a pessoa seja mais frágil, ou levar anos para se manifestar. Seus efeitos imediatos incluem irritação dos olhos, nariz e garganta, tontura, dores de cabeça e fadiga, esses em geral são temporários e tratáveis. Em alguns casos seu tratamento restringe-se a eliminar a exposição à fonte poluidora, mediante a rápida identificação.

A médica alergista, Dra. Faradiba, enfatiza ainda para o cuidado com o uso excessivo de produtos de limpeza, que podem ser desencadeadores de crises respiratórias. “Geralmente as pessoas relacionam os sintomas principalmente ao contato com a poeira e o mofo. As pessoas acham que para os ambientes estarem limpos tem que estar com cheiro do produto de limpeza e acabam abusando na quantidade, e assim a qualidade do ar de suas casas ficam pior, elas inalam maior quantidade de poluentes e a inflamação nas vias respiratórias se agrava, desencadeando sintomas. Outra coisa que pode acontecer é a utilização de produtos que liberam poluentes gasosos inodoros e a pessoa nem percebe que inalou uma substância química.” 


Melhore o ar dentro de casa:

 

  • Evite os COVs, se possível opte por produtos naturais 

Os COVs (compostos orgânicos voláteis) estão presentes nas fragrâncias artificiais, em tintas sintéticas e tapetes, além de produtos de limpeza em geral. Se possível, dilua muito bem os produtos antes de usar, e opte por produtos sem perfumes ou texturas nocivas às vias aèreas e pele. Bicarbonato de sódio, diluído em água pode ser uma boa solução para limpeza de ambientes, se desejar, adicione gotas de limão e dê um frescor na solução.

 

  • Impeça o mofo antes de começar a se reproduzir 

O mofo “gosta” de ambientes com umidade e alimentos, lugares com pouca luz solar e casas antigas. A umidade muitas vezes se condensa na parte externa das paredes. Se possível, verifique de tempos em tempos as paredes próximas à encanamentos, algum vazamento no banheiro e cozinha, estes são lugares propícios. Para evitar produtos químicos, água, vinagre e óleo de melaleuca ajudam a combater o mofo de forma mais natural.

 

  • Fumo dentro casa: nunca mais

O tabagismo, por si só, já prejudica a saúde da própria pessoa que convive com ela (os fumantes passivos), e fumar em locais fechados deve ser totalmente descartado. O acúmulo de fumaça pode causar sérios danos na qualidade do ar interno, especialmente em áreas pouco ventiladas. Doentes crônicos expostos a fumaça do tabaco em casa têm um risco maior de crises graves desenvolver.

  • Remova os alérgenos

Se você sofre de asma, rinite e alergias, sabe que partículas de pólen e ácaros podem aumentar o risco de doenças e de crises. Por isso, o excesso de umidade estimula a formação de mofo no ar dentro de casa. O ideal é sempre que for remover essas partículas, use uma máscara, vamos aproveitar que ela já está em nosso dia a dia, e separar uma para realizar esse tipo de limpeza e se proteger. Ao começar a remover as partículas, lembre-se de dar preferência a panos úmidos.

  • Escape dos produtos perfumados

Produtos como velas, incensos, aromatizantes são ótimos para tornar a casa mais aconchegante, mas para quem tem alguma doença crônica respiratória, a recomendação é não usar, infelizmente. Eles possuem substâncias químicas que, quando queimados ou borrifados, poluem o ar da casa. Caso goste muito desses produtos, opte, se possível, por aromatizantes naturais ao invés dos industrializados.


Respire melhor, dicas rápidas!

  • Ao desinfetar ambientes, opte por água quente e sabão;
  • Use panos de chão e trapos para realizar a limpeza;
  • Para diminuir o uso de produtos químicos e manter o poluição o ar doméstico menor, use vassouras, aspirador de pó e panos para remover a poeira. Não esqueça de usar uma máscara, assim evita o contato da poeira com as vias aéreas durante a limpeza.

  • Asma
  • Bronquiectasia/ Fibrose Cística
  • Câncer de pulmão
  • Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)
  • Tuberculose
  • fechar [x]

    eucalipto

    texto texto texto